Hora Errante – Heure Vagabonde – Por Angélique Chappuis

Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp

A “Hora Errante” (Heure Vagabonde) é uma das complicações relojoeiras mais surpreendentes que eu conheço!

 

É daquelas que não servem absolutamente para nada, só para te dar um nózinho no cérebro…

 

É uma complicação que parece ser uma invenção moderna, porém, é difícil de imaginar que o  primeiro exemplo conhecido  foi criado pelos irmãos Campani, em 1656 e oferecido ao papa Alexandre VII.

 

Foto 1


Primeiro relógio com hora errante dos Irmãos Campani

 

Ela é do tipo “display inédito”, ou seja, toda forma de mostrar a hora, diferente dos clássicos ponteiros concêntricos sobre um mostrador circular.

As doze horas são colocadas em uma série de discos (3 ou 4) que rodam em torno dos seus eixos e de um eixo comum. O disco das horas indica a hora passando pela casa dos minutos, distribuídos em um arco de círculo.

Enquanto a hora é marcada, em outro lugar do mecanismo, um sistema de roda de Genebra muda o disco das horas para a sua próxima viagem.

Se não entendeu lendo, meus amigos, não tem problema. Só dar uma olhadinha na animação que eu fiz para vocês aqui embaixo e vocês vão entender direitinho!

 

Foto 2
Urwerk 220

 

Foto 3

 

Audemars Piguet Star Wheel

 

Foto 4

 

Hautlence Toubillon HTL 405-1

 

Foto 5


Outlaw Drift, da Gorilla Watches, que eu tive a oportunidade de fazer a concepção da caixa, e que me ajudou na compreensão do sistema.

 

Animação 

 

A partir dos anos 1990, várias marcas lançaram um relógio com essa complicação. A primeira foi Audemars Piguet, com “Star Wheel”, um modelo com discos em cristal, no qual se pode admirar o mecanismo em ação.

 

Revisão Watch Dreamers BR